sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Pelé desmaia, é hospitalizado no Brasil e cancela viagem a Londres

Tricampeão mundial foi diagnosticado com exaustão grave

Pelé desmaia, é hospitalizado no Brasil e cancela viagem a Londres
Notícias ao Minuto Brasil
HÁ 45 MINS POR NOTÍCIAS AO MINUTO
ESPORTE SAÚDE
ORei Pelé foi hospitalizado após desmaiar por conta de uma exaustão. A notícia foi dada pela Associação de Cronistas de Futebol da Inglaterra (FWA), anunciando que o tricampeão mundial não poderia comparecer a um evento para o quel havia sido convidado.
Aos 77 anos, Pelé participou recentemente da festa de lançamento do campeonato Carioca, na qual apareceu utilizando um andador para se locomover. 
"Nas primeiras horas da manhã de quinta-feira, Pelé desmaiou e foi levado a um hospital no Brasil onde passou por uma série de exames, que apontaram para uma exaustão grave", disse a FWA em comunicado. "Ele permanece no soro enquanto os médicos monitoram sua recuperação. Felizmente, não há indicação de nada mais sério do que exaustão."
Pelé passou por problemas recentes de saúde e foi hospitalizado diversas vezes nos últimos anos por problemas recorrentes no rim e na próstata. Uma cirurgia no quadril também foi responsável pela ausência do ex-jogador em diversos eventos, entre eles na abertura dos Jogos Rio-2016.

Novo bloco na Cidade Universitária abrigará UFF

2018-01-19 09:50:00 - Jornalista: Tatiana Gama
Compartilhe:  
  •  
  •  
Foto: Arquivo
Cidade Universitária receberá novo bloco
A construção do Bloco D, da Cidade Universitária, destinado à Universidade Federal Fluminense (UFF), em Macaé, começará em 1º de fevereiro. A obra, que já foi licitada, faz parte do programa de expansão do polo universitário e será entregue no primeiro semestre de 2019. O prédio terá 4.400 metros quadrados, com três pavimentos.
No térreo, irão funcionar a secretaria, sala de direção, sala de professores, biblioteca, diretório acadêmico, auditório para 200 pessoas, copa e sanitário. Os pavimentos um e dois serão destinados para 15 salas de aula, cada.

O novo prédio seguirá o padrão dos já edificados no campus. A ideia é contribuir com o modelo de interiorização de grandes universidades do país, se consolidando como a cidade do conhecimento.

De acordo com o diretor do Instituto de Ciências Contábeis da Sociedade de Macaé da UFF, Daniel Arruda Nascimento, além dos três cursos já oferecidos pela instituição na cidade, a expectativa é que outros sejam criados a partir da demanda local, da interação com cursos de outras universidades parceiras no município e sua adequação com o instituto.

"Estamos na expectativa da aprovação pelos órgãos de fomento de um Mestrado Profissional em Gestão Empresarial, já aprovado nas instâncias internas da Universidade Federal Fluminense. Temos também outros projetos de pós-graduações e especializações em elaboração. A construção do Bloco D é um antigo sonho da nossa comunidade acadêmica e fundamental para o processo de expansão. Com a sua entrega, poderemos ainda ampliar o atendimento à população local pelo Núcleo de Apoio Fiscal e Contábil, recentemente inaugurado, e pelo nosso Centro de Assistência Jurídica", destaca o diretor.

Expansão 

O polo universitário do município já é referência em educação superior na região e no país por abrigar, no mesmo espaço e, gratuitamente, diferentes instituições de ensino superior.

Com cinco mil alunos, a Cidade Universitária abriga a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Faculdade Miguel Ângelo da Silva Santos (FeMASS) e Universidade Federal Fluminense (UFF). São 18 cursos de graduação e seis de pós-graduação.

De acordo com o secretário de Educação, Guto Garcia, esta é mais uma ação que demonstra a transformação de Macaé na cidade do saber e do conhecimento. “Também temos a previsão da construção de uma quadra poliesportiva multifuncional voltada para a saúde e qualidade de vida dos alunos, além de receber torneios, campeonatos e jogos universitários”, pontua.

A Cidade Universitária está localizada à rua Aloísio da Silva Gomes, 50, bairro Granja dos Cavaleiros.

Macaé X Botafogo: Moacyrzão liberado para 10 mil torcedores

2018-01-18 17:01:00 - Jornalista: Equipe Secom
Compartilhe:  
  •    
  •    
Foto do campo do Moacyrzão
Foto: Moisés Bruno
Estádio foi liberado após nova vistoria da Polícia Militar
O estádio Cláudio Moacyr de Azevedo, o "Moacyrzão", em Macaé, está novamente no circuito dos grandes estádios do interior do Estado do Rio de Janeiro, após liberação para receber jogos oficiais. A próxima partida no local será Macaé x Botafogo, na quinta-feira, dia 25, às 19h30, pela terceira rodada da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. O Moacyrzão poderá receber sua capacidade máxima de público: 10 mil pessoas.
A liberação do "Moacyrzão" ocorreu após uma nova vistoria do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (GEPE), organização da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro especializada em policiamento de praças desportivas, feita nesta quarta-feira (17). Após a visita, foi emitido o laudo que faltava para o estádio.

No início de janeiro, o "Moacyrzão" foi vetado pelo GEPE que, em fiscalização no local, detectou a realização de uma obra. Segundo o secretário municipal de Esportes, Aquiles Lemos, o serviço, na ocasião não interferia no uso esportivo. "Estava sendo construída a rampa de acesso ao parquinho da Escola Municipal de Educação Infantil Dr. Juventino da Silva Pacheco, instalada no estádio e que não tem qualquer relação com a realização de jogos", disse.

A última vez que o Macaé se apresentou no "Moacyrzão" foi no dia 20 de dezembro, na estreia do Grupo A do Campeonato Carioca (chamado de "Seletiva"), quando derrotou o Goytacaz por 3x1. O clube tinha o mando de campo contra o América, pela quarta rodada, dia 10 de janeiro mas, com a impossibilidade de atuar em casa, jogou no Estádio Eduardo Guinle, em Nova Friburgo.

Segundo colocado na "Seletiva", o Macaé garantiu a vaga na fase principal do Campeonato Carioca. Na primeira rodada, o time empatou em 2x2 com o Madureira, quarta-feira passada (17), no Estádio Aniceto Moscoso, no Rio de Janeiro. O segundo compromisso será neste sábado (20), diante do Boavista, no Estádio Elcyr Resende Mendonça, em Bacaxá (Saquarema).

Alerta a população de Confresa sobre a vacina contra Febre Amarela

Agência da Notícia com redação
reprodução
 (Crédito: reprodução)
O Brasil está vivendo o maior surto de febre amarela silvestre das últimas décadas segundo o ministério da saúde.

E devido o número de casos governo iniciou uma campanha emergencial de vacinação com o objetivo de imunizar cerca de 20,6 milhões de pessoas nos estados de são Paulo, rio de janeiro e Bahia; áreas de concentração da doença, entre janeiro e março.

Os sintomas da febre amarela são: causa dor de cabeça, febre baixa, fraqueza e vômitos, dores musculares e nas articulações, em sua fase mais grave pode causar inflamação no fígado e nos rins, sangramentos na pele e levar a morte.

Diante do foco da doença e a preocupação o agência da notícia entrou em contato com uma das unidades de saúde de Confresa, e em uma entrevista com uma das enfermeiras do PSF 2000 que esclareceu algumas dúvidas em relação a vacina contra febre amarela, alertando e orientando a população quanto a vacina.

É recomendada a vacinação apenas para bebês acima de nove meses de idade. Atualmente, a vacina está recomendada para aqueles entre nove meses e 59 anos de idade.

“Uma dose protege a vida toda, por isso quem já tomou uma dose da vacina não precisa de reforço, mesmo que tenha sido ministrado há mais de 10 anos com exceção para crianças de 9 meses a 5 anos de idade, quem recebeu uma dose nesse período deve receber um reforço depois dos 5 anos.

Uma alerta para as mães que observem os cartões de vacina, verifique se seu filho já foi vacinado; se não procure a unidade de saúde mais próxima para fazer a vacinação “Explicou Magna enfermeira da unidade de saúde 2000 .

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018


Reunião define incentivos federais para agroindústria e pesca

Planejamento e Pesca e Aquicultura se reúnem com representantes de setores federais para a cessão de uso do caminhão “Feira de Peixe” e a implantação do programa “Comunidades Tradicionais de Pescadores”.
O superintendente de Planejamento, Marcel Cardoso, e o superintendente adjunto de Pesca e Aquicultura, José Armando, se reuniram nesta quarta-feira (17) com a delegada federal do Desenvolvimento Agrário, Danielle Barros, e o coordenador do Escritório Federal de Pesca e Agricultura do Ministério de Desenvolvimento, Comércio Exterior e Serviços, Jaime Marinho. O encontro foi na Delegacia do Desenvolvimento Agrário, no Rio de Janeiro, e teve como objetivo a cessão de uso do caminhão “Feira de Peixe” e a implantação do programa “Comunidades Tradicionais de Pescadores”, bem como viabilizar instrumentos para fomentar a implantação de agroindústrias na região, assistência técnica rural e cessão de equipamentos ao setor aquícola.

— Campos possui extensa área de produção rural e agrícola e forte tradição pesqueira. Por isso, é fundamental que sejam desenvolvidas políticas públicas de incentivo e fomento a estes setores. Além disso, a Aquicultura, que é o tratamento do ambiente aquático para criação de peixes e outros organismos, geralmente em espaços confinados e controlados, é uma das vocações econômicas de Campos e está presente na estratégia de superação da dependência com os royalties do petróleo, contida no Plano de Metas do Município — afirmou José Armando.

Segundo Marcel Cardoso, o governo Rafael Diniz está atuando para ampliar as políticas de apoio e fomento à agricultura familiar e à aquicultura, essenciais para o desenvolvimento sustentável do nosso município. “Esta reunião visou a consolidar novas ações relacionadas à assistência técnica e fomento à produção e geração de renda. Saímos com a certeza de que avançamos muito para o crescimento e geração de oportunidades para o setor agroindustrial do município”, acrescenta o superintendente Marcel Cardoso.

José Armando destaca ainda a importância do diálogo entre representantes federais e o saldo positivo do encontro. "Cerca de 70% do alimento que chega à nossa mesa vêm da produção artesanal e familiar. Saímos certos de ter avançado no atendimento às diversas demandas desses nichos produtivos. A parceria fortalecida aqui nos aproxima ainda mais destes objetivos. A cessão de equipamentos, como o caminhão ‘Feira do Peixe’, irá levar este alimento saudável, direto do produtor até diversas comunidades do município. A liberação de uma escavadeira hidráulica para abertura de tanques e manutenção de veios hídricos também vai fomentar a piscicultura”, concluiu José Armando. 
Por: Redação - Foto: Divulgação -  18/01/2018 11:51:19

Número de mortes por febre amarela no estado do Rio sobe para cinco

  • 18/01/2018 21h00
  • Rio de Janeiro
Cristina Índio do Brasil – Repórter da Agência Brasil
O número de mortes por febre amarela no estado do Rio de Janeiro subiu para cinco, conforme indica o último informe epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES). De acordo com a Subsecretaria de Vigilância em Saúde da secretaria, neste ano foram registrados 13 casos de febre amarela silvestre em humanos no estado.
Em Teresópolis, na Região Serrana, foram três casos, sedo que um deles evolui para óbito. Na cidade de Valença, no sul fluminense foram sete casos confirmados, com três mortes. A doença também foi confirmada em uma pessoa em Nova Friburgo, uma em Petrópolis, ambas na Região Serrana, e um caso que também terminou em morte em Miguel Pereira.
Ontem, a Vigilância Sanitária confirmou o primeiro caso de febre amarela em macacos em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. A SES lembrou que os macacos não são responsáveis pela transmissão da doença que é contraída pela picada de mosquitos infectados.
A secretaria recomendou ainda que quem encontrar macacos mortos ou animais que apresentem comportamento anormal, afastado do grupo, com movimentos lentos, “deve informar o mais rápido possível às secretarias de Saúde do município ou do estado do RJ”.
Outra recomendação do órgão é para que as pessoas que ainda não se vacinaram, procurem um posto de saúde próximo de casa para se imunizarem. Qualquer dúvida pode ser esclarecida no site www.febreamarelarj.com.br.
Doses
Para reforçar a imunização preventiva da população, Petrópolis recebeu 50 mil doses de vacina contra febre amarela. O município vai participar do dia D de vacinação no sábado (27) que ocorrerá em 92 municípios do Rio de Janeiro. De acordo com a Prefeitura de Petrópolis, o município continuará aplicadando a dose única da vacina que garante proteção contra a doença para toda a vida.
Ainda segundo a prefeitura, a cidade está com 60% da população protegida contra a doença. Já foram aplicadas 194 mil doses. A vacina é oferecida diariamente em 15 unidades de Saúde, das 9h às 17h. É preciso apresentar documento de identificação e, no caso de menores de idade, a caderneta de vacinação.
Edição: Denise Griesinger

Moradias são demolidas em ação de segurança social

2018-01-18 16:54:00 - Jornalista: Equipe Secom
Compartilhe:  
  •  
  •  
Foto de trator derrubando casa.
Foto: Maurício Porão
Objetivo é cumprir ordem judicial e impedir novas invasões no Lagomar
"Uma ação de cidadania, de cuidado com vidas". Assim o prefeito de Macaé, Dr. Aluizio, definiu a demolição das residências que ficam na zona de amortecimento do Parque Nacional de Restinga de Jurubatiba, no bairro Lagomar. Todas as 96 famílias dessas residências já foram removidas, em dezembro, para o Conjunto Habitacional Prefeito Carlos Emir (Bosque Azul). A intervenção é uma determinação do Ministério Público e também uma medida de segurança pública. A ação teve início nessa quinta-feira (18), com 40 casas demolidas.
"Essa atuação segue duas premissas: cumprir uma ordem judicial e impedir novas invasões que possam colocar a vida de pessoas em risco", afirmou Dr. Aluizio, que acompanhou a operação e pode ouvir e tirar dúvidas dos moradores que ainda moram no local. "Estamos aqui para conversar, para resolver. Não podemos deixar que a população viva em uma situação irregular", disse Aluizio.

Após o bairro passar por dias de conflitos entre facções, a demolição também é um importante meio de combate às ações de traficantes. "Agora a comunidade está mais pacífica, só vamos parar quando estiver tudo a contento. Estamos aqui com muita cautela, pois há muitas famílias", afirmou o secretário de Ordem Pública, Sebastião Carneiro que, junto com a Polícia Militar e Civil, garantiram a segurança de moradores e as equipes envolvidas em todo trabalho.

A operação contou com a participação das secretarias de Ordem Pública, Habitação, Infraestrutura e Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Acessibilidade. Foram utilizados quatro retroescavadeiras e oito caminhões, com uma equipe de cerca de 50 homens da secretaria de Infraestrutura.

"A prefeitura não demolirá nenhuma casa sem consentimento. A Secretaria de Habitação manterá equipe no Lagomar para resolver, pacificamente, todos os casos. Vamos fazer todo o possível e colocar toda a energia para resolver as situações que se apresentarem. Se de todo for realmente impossível, vamos em busca de outras medidas. Nosso objetivo é a legalização. O governo tem a obrigação de resolver, dentro da legalidade, caso a caso", enfatizou o prefeito de Macaé.

A secretária de Habitação Tânia Jardim, explicou toda atuação. "Estamos dando continuidade à ação de remanejamento iniciada em dezembro de 2017, atendendo ao Ministério Público, visto que é uma área de amortecimento do Parque Nacional da Restinga Jurubatiba que precisa ser restaurada. Primeiro, atendemos as famílias que aceitaram espontaneamente a mudança. Hoje, muitas já nos procuram e têm a consciência de como essa mudança é importante e, principalmente, uma forma de promover qualidade de vida a essas pessoas que, ao saírem daqui, podem ir para um local melhor", afirmou Tânia.

A moradora Maria Cristina Mafrin, que logo irá para o Residencial no Bosque Azul, concorda com a secretária. "Essa mudança é excelente. Vamos para um lugar melhor, onde há mais facilidades para nós moradores", afirmou a dona de casa.

As famílias que ainda se encontram no local tiveram assistência da Secretaria de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Acessibilidade. "É fundamental o nosso apoio a essas famílias. Estamos aqui para acolher. Por conta da invasão, atuamos para dar suporte e garantir que essas pessoas possam ir para um lugar seguro", afirmou a secretária Tatiana Pires.

Além disso, uma equipe da Habitação realizou, durante a tarde desta quinta-feira, uma reunião com os moradores na Escola Municipal Paulo Freire para esclarecimento de dúvidas e possíveis soluções imediata. Nesta sexta-feira (19) e durante toda a próxima semana, a equipe continuará na escola realizando atendimento. Os casos serão tratados individualmente, com o objetivo de resolver as situações que, por algum motivo, estão ainda pendentes.

Selagem

Em 2015, cada família recebeu uma folha de cadastro com o número de inscrição que foi afixado na residência, contendo a data, a hora e os documentos que deveriam ser levados para realizar o cadastro. O município cumpriu determinação da justiça para cadastrar e remover as famílias que vivem na zona de amortecimento do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, localizada na Rua W 30, no bairro Lagomar. A unidade de conservação foi criada pelo Governo Federal, em 1998, com o objetivo de proteger significativos ecossistemas e espécies locais.