sábado, 26 de maio de 2018

Vacinação contra gripe termina dia 30

2018-05-25 14:43:00 - Jornalista: Julie Silveira
Compartilhe:  
  •  
  •  
Foto de uma senhora sendo vacinada no braço. Ao fundo, um grupo de pessoas observa a cena
Foto: Maurício Porão
Imunização acontece em 31 unidades da Estratégia Saúde da Família
Com 88% do público-alvo imunizado, cerca de 44 mil pessoas, a vacinação contra gripe termina na próxima quarta-feira (30). A meta da Secretaria de Saúde é atingir 50 mil pessoas, 100% grupo prioritário, composto por crianças de seis meses a cinco anos, gestantes, mulheres que tiveram filhos até 45 dias, trabalhadores da área de saúde e professores da área pública e privada; idosos acima de 60 anos; pessoas portadoras de doenças crônicas, como as respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas, neurológicas, diabéticas, obesas e transplantadas. A ação faz parte da campanha nacional de imunização contra as gripes HN1, H3N2 e Influenza B. A imunização acontece em 31 unidades da Estratégia Saúde da Família (ESFs), distribuídas nas áreas urbana e serrana, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.
A data inicial para o encerramento da campanha seria dia primeiro de junho, porém, devido ao feriado de Corpus Christi (31), o encerramento foi antecipado. A ação já conta com 97% das puerperas imunizadas; crianças (76%); profissionais da saúde (69%); gestantes (71%); idosos (89%); professores (83%).

A gripe é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar a complicações graves e ao óbito, especialmente nos grupos de alto risco para as complicações da infecção.

Não há nenhuma restrição alimentar ao tomar a vacina. Em caso de desconforto, basta fazer uma compressa de gelo.

Saiba onde se vacinar:


  • Ajuda A - Rua Nove, s/nº

  • Ajuda C - Rua Projetada UM, s/n

  • Aroeira - Rua dos Eucaliptos, 184

  • Aterrado do Imburo - Rua Principal, s/nº

  • Barra Brasília A/B - Rua Calixto Fernandes das Neves, 355

  • Barreto - Rua Dois, s/n

  • Areia Branca

  • Bicuda Pequena

  • Cajueiros - Rua Marcial Alves Moreira, 51

  • Campo do Oeste - Avenida Venezuela, 132

  • Córrego do Ouro A/B - Avenida Miguel Peixoto Guimarães, s/nº

  • Engenho da Praia - Avenida Lagomar, 122

  • Frade - Rua Principal, s/nº

  • Fronteira A/B - Rodovia Amaral Peixoto, s/nº

  • Glicério - Rua Arquiteto Luiz Pinto, s/nº

  • Horto - Estrada do Horto

  • Lagomar A - (Avenida Quissamã, s/n°

  • Lagomar B - Rua W18 sentido W01, s/nº

  • Lagomar C - Rua W18 sentido W01, s/nº

  • Malvinas B - Rua Principal, 656

  • Morro de São Jorge - Rua Abílio Correa Borges, 182

  • Nova Esperança A/B - Rua São Mateus, s/n°

  • Nova Holanda A/B - Rua Nove, s/nº

  • Praia Campista - Rua Luiza Lírio do Vale, 158

  • Sana - Rua Principal, s/nº

  • Trapiche - Rua Comandante Gerson, s/n°

  • Virgem Santa - Estrada Virgem Santa, s/nº

  • Visconde - Rua Zilda Zarur, s/nº, Novo Visconde

  • Clínica da Família - Rua Dr. Luiz Belegard, nº 540, Imbetiba

  • Casa da Vacina - Rua Antero Perlingero, 76, Centro

  • Pronto Socorro Aeroporto - Rua Curuncango, s/nº, Parque Aeroporto

Temer decreta Garantia da Lei e da Ordem em todo país até 4 de junho

Publicado em 25/05/2018 - 23:02
Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil  Brasília
O presidente Michel Temer assinou o decreto determinando o uso das forças federais para liberar as rodovias e reabastecer o país com os produtos retidos nas estradas. O decreto, publicado na noite de hoje (25), em edição extra do Diário Oficial da União, autoriza o emprego das Forças Armadas no contexto da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) até o dia 4 de junho.
Com isso, os militares darão apoio às forças policiais, como a Polícia Militar (PM), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Força Nacional, na liberação das estradas. Além disso, as Forças Armadas poderão requisitar veículos e levá-los para distribuição dos produtos que carregam, mas isso só será feito caso o dono do caminhão – seja a empresa ou o próprio motorista – se negar a seguir viagem.
“A requisição de bens é um item do menu de opções que o governo tem em qualquer circunstância. Na medida que as coisas não voltarem à normalidade, o governo vai usar o instrumento que tem. A requisição é um ato de posse. Requisita, utiliza e devolve. É uma hipótese. Poderá ser utilizada na medida que for necessária”, disse o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sergio Etchegoyen, em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira no Palácio do Planalto, horas antes da edição do decreto.
Caminhoneiros participam de protesto contra os altos preços do diesel na rodovia BR-116 Régis Bittencourt, em São Paulo
A paralisação dos caminhoneiros chegou ao quinto dia nesta sexta-feira - Leonardo Benassatto/Reuters/direitos reservados
Além de disponibilizar motoristas para o caso de requisição de veículos, as Forças Armadas também podem escoltar caminhões que transportam produtos essenciais, oferecer ao serviço policial caminhões-tanque e outros veículos necessários para o cumprimento da GLO.
A paralisação dos caminhoneiros chegou ao quinto dia nesta sexta-feira. Mesmo após o acordo, várias estradas continuaram obstruídas, ainda que parcialmente, pelos grevistas. De acordo com o governo, no entanto, as interdições reduziram de 938 para cerca de 500, sendo que em nenhuma das restantes houve interrompimento total do trânsito. Segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, as informações são passadas pelos postos da PRF espalhados pelo país.

 
Edição: Fábio Massalli

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Sindicato de caminhoneiros pede fim de bloqueios após ordem de envio de tropas

AFP / DOUGLAS MAGNOVista aérea de um bloqueio na BR-262, em Juatuba, Minas Gerais, no quinto dia da greve de caminhoneiros
O principal sindicato à frente da greve de caminhoneiros que já dura cinco dias pediu a seus representados que suspendam os bloqueios de rodovias, depois que o governo anunciou a mobilização de tropas para pôr fim ao movimento.
O presidente Michel Temer ordenou nesta sexta-feira (25) que a Polícia e as Forças Armadas atuem contra os caminhoneiros que ignoraram um acordo assinado na véspera para suspender os bloqueios, que estão causando desabastecimento de alimentos e combustível em todo o país.
"Muitos caminhoneiros estão fazendo sua parte, mas infelizmente uma minoria radical tem bloqueado estradas, impedido que muitos caminhoneiros levem adiante o seu desejo de atender a população e fazer o seu trabalho", disse Temer.
O Exército, a Marinha e a Aeronáutica vão se mobilizar em uma ação "rápida, integrada e enérgica" e buscarão, antes de tudo, liberar a circulação em áreas "críticas", como refinarias, portos e aeroportos, detalhou posteriormente o ministro da Defesa, o general Joaquim Silva e Luna.
Diante da ameaça do governo, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), um dos principais sindicatos que havia rejeitado o acordo com o governo, pediu a suspensão dos bloqueios "por razões de segurança", embora sem cessar os protestos.
"Já mostramos a nossa força ao governo, que nos intitulou como minoria. Conseguimos parar 25 estados brasileiros com mais de 504 interdições", afirmou em um comunicado a Abcam, que fala da adesão de 700 mil caminhoneiros autônomos.
O ministro da Segurança Pública, Raúl Jungmann, garantiu na entrevista coletiva desta tarde que 45% dos bloqueios já haviam sido liberados, mas reconheceu que ainda restavam mais de 500 em todo o país, os mesmos apontado pela Abcam.
À espera de ver se os caminhoneiros acatam o pedido do sindicato, efetivos da Marinha foram enviados ao porto de Santos, enquanto a Força Aérea estava em contato com uma dezena de aeroportos que ficaram sem gasolina e o governo assegurou que autorizará, "caso seja necessário", a revista de caminhões pelas Forças Armadas.
O governo informou que o apoio das Forças Armadas está autorizado, a princípio, até o dia 4 de junho.
Jungmann disse que cerca de vinte empresários estão sendo investigados por crimes relacionados aos protestos.
- País paralisado -
A crise, a menos de cinco meses das eleições presidenciais, começou pela revolta dos caminhoneiros contra os sucessivos aumentos do diesel.
Esses aumentos são resultados da política de preços adotada pela Petrobras desde 2016 de alinhar os valores do combustível aos do mercado internacional, como estratégia para recompor suas finanças e sua imagem depois do seu envolvimento em escândalos de corrupção.
O acordo alcançado na quinta-feira previa a suspensão por 15 dias da paralisação, em contraposição ao corte do imposto sobre o diesel e da criação de um sistema de subsídios para prolongar a redução de 10% do preço do diesel na saída das refinarias. O acordo anunciado pela Petrobras inicialmente foi limitado a quinze dias.
"Hoje em dia, você pega um frete de 1.000 reais para ir a São Paulo, gasta 400 reais de diesel e 400 reais de pedágio. Sobram 200 reais. Como você vai comer? O que vai sobrar para a sua família?", disse à AFP Luciano Constant, caminhoneiro autônomo de 43 anos que participava de um bloqueio nessa localidade.
Em cinco dias, o país ficou à beira de um colapso.
A greve obrigou o cancelamento de voos no aeroporto de Brasília, paralisou totalmente as cadeias de montagem de automóveis, reduziu a atividade de grandes frigoríficos e provocou uma alta dos preços de combustíveis e alimentos.
A Prefeitura de São Paulo decretou estado de emergência, medida que lhe permitirá, entre outros pontos, requisitar ou apreender bens privados, como o combustível armazenado em um posto.
A crise questiona a capacidade de articulação política do governo até sua passagem de poder, em janeiro, e de dar um apoio eficaz a seu candidato, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles.
- Novamente as Forças Armadas -
Temer já recorreu em várias ocasiões às Forças Armadas para enfrentar algumas das crises que marcaram seus dois anos de mandato.
O presidente convocou as Forças Armadas para várias "operações de garantia da lei e da ordem" em estados que vivem graves crises de segurança, e decretou em 2017 a intervenção militar na área de segurança do Rio de Janeiro.
"A proposta do governo de convocar as Forças Armadas como instrumento de repressão é querer apagar fogo com gasolina: vai instigar o conflito e dificultar uma solução equilibrada", afirmaram em comunicado conjunto as principais centrais sindicar do país, que se ofereceram para fazer uma mediação e encontrar uma solução.
A Anistia Internacional considerou "inadmissível" o uso das tropas, lembrando que esse não é o seu papel e que a liberdade de manifestação é um direito humano.

Semana do Meio Ambiente: sustentabilidade em destaque

2018-05-25 15:58:00 - Jornalista: Equipe Secom
Compartilhe:  
  •  
  •  
Foto de homens plantando mudas
Foto: Maurício Porão - Arquivo Secom
Plantio na Avenida Evaldo Costa integra a programação
A Semana do Meio Ambiente em Macaé contará com diversas atividades com foco na sustentabilidade. A programação começa na segunda-feira (4) e seguirá até sábado (9), com distribuição de mudas, exibição de filmes ecológicos, inauguração de novos pontos de coleta de resíduos eletroeletrônicos, palestras, além da finalização de plantio do corredor verde da avenida Evaldo Costa, no bairro Sol Y Mar.
A iniciativa acontece em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho. As atividades estão sendo coordenadas pela Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade. Na segunda-feira (4), às 14h, haverá distribuição de mudas da Mata Atlântica na base operacional do Sana, ação que se repetirá no local na sexta sexta-feira (8).

A programação seguirá na terça-feira (5), com caminhada didática, plantio de mudas nativas, apresentação musical da Banda Marcial do Colégio Municipal Generino Teotônio de Luna e do Coral da Escola Municipal Olga Benário Prestes, no Parque Natural da Restinga do Barreto, a partir das 9h. No mesmo horário terá CineAmbiental no auditório do Paço Municipal. A exibição será repetida às 14h no mesmo local. Às 10h, a base operacional do Sana receberá a palestra “Compostagem”.

Na quarta-feira (6), a partir das 9h, será a vez do mutirão de limpeza na praia do Parque Natural da Restinga do Barreto. Entre 10h e 13h haverá exposição do projeto “Resgatando o passado, semeando o futuro”, oficina com materiais reciclados e teatro de fantoches da Liga da Preservação: Guardiões da Natureza, na base operacional do Sana.

O Parque Natural da Restinga do Barreto receberá caminhada didática, por meio da prática de slackline, na quinta-feira (7), a partir das 9h, e, às 15h, partida de futebol feminino do grupo Monarcas do Engenho da Praia. A palestra “Mata Atlântica: características e importância” será às 10h, na base operacional do Sana.

No sábado (9), às 15h, haverá enriquecimento florestal com plantio de espécies nobres da Mata Atlântica em parceria com o projeto Mães Orgânicas de Macaé, no Parque Natural Atalaia.

Plantio do Corredor Verde na avenida Evaldo Costa

As ações de arborização na avenida Evaldo Costa, para a criação do chamado Corredor Verde, terão continuidade durante a programação da Semana de Meio Ambiente. O trabalho será realizado na quarta-feira (6), às 9h30. O projeto foi idealizado por engenheiros florestais da Coordenadoria de Arborização e Paisagismo, da Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade. A execução é feita por empresas como medida compensatória de acordo com Lei Municipal 3.010/2007, como contrapartida do habite-se ambiental por construções de residências e/ou estabelecimentos comerciais.

O local está recebendo 360 mudas de espécies nativas como Pau Formiga, Pau Mulato e Lanterneira, apropriadas para a arborização urbana.

Além da Evaldo Costa, o trabalho também está sendo realizado em outros pontos da cidade. Somente este ano, outras 700 mudas foram plantadas em locais como a Avenida Industrial, Linha Vermelha, Rodovia Amaral Peixoto (RJ-106) e Avenida Aluisio da Silva Gomes.

sandu já disputou jogos históricos contra o Avaí-SC

O jogo da noite desta sexta-feira (25), entre Avaí-SC e Paysandu, no Estádio da Ressacada, é esperado pelos bicolores como mais um difícil confronto pelo Campeonato Brasileiro da Série B, mas a Fiel relembra momentos marcantes na centenária história do clube.
A primeira disputa entre as equipes foi em 1974, quando o Paysandu saiu vitorioso, em Santa Catarina, pelo placar de 2 a 1. As partidas mais memoráveis foram no quadrangular final da Segundona de 2001. Na partida de ida, o Papão empatou em 3 a 3.
Naquela noite de 17 anos atrás, Vandick Lima foi o herói no Estádio da Ressacada, palco do confronto de hoje à noite. "Nós fizemos 2 a 0, mas o Avaí virou e no final da partida conseguimos empatar. Nesse jogo, eu tive a felicidade de fazer os três gols", contou o ídolo e e ex-jogador.
Já no dia 22 de dezembro, um sábado de Curuzu lotada, o Papão venceu o Avaí por 4 a 0, com gols de Gino, Vandick (duas vezes) e Zé Augusto. Com a vitória, o Paysandu sagrou-se bicampeão brasileiro da segunda divisão. "A torcida fez uma linda festa na Curuzu, foi o jogo que nos deu não só o acesso, mas o título também, foi um dos jogos mais emocionantes da minha vida", revelou Vandick.
O confronto entre as duas equipes sempre foi emocionante. Hoje à noite, Avaí e Paysandu vão brigar por uma vaga no G4 da Série B 2018. A partida será disputada às 19h15, no Estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela sétima rodada.
Texto: Fernando Torres
Imagem: Diário do Pará/Arquivo

Diego Ivo pede concentração ao time para pontuar fora de casa

O duelo da noite desta sexta-feira (25), entre Avaí-SC e Paysandu, válido pela sétima rodada da Série B 2018, será mais um jogo importante na caminhada bicolor na competição, mas para um atleta do Lobo o confronto tem alguns fatores ainda mais especiais.
Para o zagueiro Diego Ivo, que já passou pelo clube catarinense, será a oportunidade de rever grandes amigos e mostrar mais uma vez o seu trabalho. No último treino antes do confronto, o zagueiro comentou sobre a relação que tem com o Avaí. "Uma relação boa, deixei grandes amigos. Fiz muito amigos aqui, tanto que me sinto em casa e posso afirmar isso, tanto que nessa sexta a maioria deles vai ao jogo, mas a gente vem com o intuito de somar pontos" ,ressaltou o capitão bicolor.
O último treino dos bicolores foi realizado no CT do Figueirense-SC
Ciente da dificuldade que o Papão terá pela frente, uma vez que o sistema de jogo que as equipes têm usado é parecido, o defensor afirma que o caminho a ser seguido em busca dos três pontos deve ser a concentração. "Se a gente entrar focado, concentrado, mesmo se vierem na mesma formação que a gente, a gente sabe o que fazer. O mais importante é a gente manter a postura que estamos tendo de não vacilar, procurar melhorar para sair daqui com um resultado bom e ficar no G4", afirmou.
Avaí-SC e Paysandu entram em campo nesta sexta-feira (25), a partir das 19h15, no Estádio da Ressacada, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.
Texto: Jorge Luiz
Imagem: Divulgação

Forças Armadas vão garantir abastecimento, diz governo

Publicado em 25/05/2018 - 18:43
Por Da Agência Brasil*  Brasília
O governo vai acionar as forças de segurança federais para liberar as estradas e as Forças Armadas serão utilizadas para garantir o abastecimento da população. Para isso, será editada uma operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), válida até o dia 4 de junho. A notícia foi dada hoje (25), em entrevista coletiva no Palácio do Planalto.
O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmman, afirmou ainda que o presidente Michel Temer poderá editar um decreto para permitir a requisição de bens, prevista na Constituição, para que alimentos, combustíveis, medicamentos e insumos cheguem à população, em todo o país. Ele acrescentou que os militares têm o respaldo legal para assumir a direção dos caminhões dos grevistas, se assim necessário. “O artigo 5, inciso 25 da Constituição Federal permite a requisição de bens, caso se faça necessário, em condições de pilotar veículo para que o desabastecimento seja contido e voltemos a ter distribuição regular”.
O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, anunciou que houve redução considerável dos bloqueios de estradas em todo o país. Segundo os números apresentados pelo governo, informados pela PRF, das 938 obstruções e interdições de rodovias, 419 já foram liberadas até este momento. Há ainda 519 pontos de interdições, já parciais, segundo o governo. O ministro admitiu que a liberação ocorre com menos velocidade do que o esperado.

Locaute

O ministro da Segurança disse ainda que a Polícia Federal abriu inquérito e vai ouvir 20 empresários de transportadoras para investigar se fizeram locaute, o que é ilegal e punível com prisão e multa.  "Estamos investigando se grandes empresas, transportadoras, patrões usaram os trabalhadores para ampliarem suas margens de lucro", afirmou Jungmann. "Greve é direito constitucional; locaute é ilegalidade", definiu. "Nós vamos ver quem está tirando proveito das reivindicações de trabalhadores. Se há patrões explorando os trabalhadores e o sofrimento da população", completou. O ministro disse que se o locaute for comprovado, os infratores serão enquadrados em sete tipos de crimes.
O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen, disse que as forças federais já estão atuando para normalizar a distribuição de produtos no país. Segundo ele, uma das refinarias da Petrobras no Rio de Janeiro, já reiniciou a distribuição de combustível no estado. “A refinaria Duque de Caxias já normalizou quase na integralidade, o que vai limpando o horizonte para nós. Haverá o tempo necessário para reposição de estoques, mas reinicia o abastecimento”, disse. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que muitos caminhoneiros estão respeitando o acordo firmado ontem com o governo federal.
De acordo com o ministro Padilha, informações da Polícia Rodoviária Federal e do GSI mantém a cúpula do governo informada. “O acordo está sendo observado por muitos. Temos monitoramento minuto a minuto. Postos da Polícia Rodoviária Federal municiam com informações e o Gabinete de Segurança Institucional vai acompanhando minuto a minuto o que vai acontecendo”. Segundo ele, uma “minoria barulhenta” tem atrapalhado o processo de volta à normalidade nas estradas.

*Colaborou Marcelo Brandão
 
Edição: Sabrina Craide