terça-feira, 27 de junho de 2017

Prova Macaé avalia cerca de sete mil alunos da rede

2017-06-27 17:16:00 - Jornalista: Joice Trindade
Compartilhe:  
  •  
  •  
  •  
Foto de aluno da rede municipal em aplicação de prova.
Foto: Maurício Porão
Avaliação pontua o desempenho global dos alunos e traça ações para os desafios do processo de ensino
Cerca de sete mil alunos do quinto, sexto e nono ano do Ensino Fundamental da rede municipal participaram, nesta terça-feira (27), da Prova Macaé. O objetivo é identificar dificuldades - dos alunos e do ensino - para melhor planejamento pedagógico.
Alunos das unidades de ensino Escola Maria Letícia Santos Carvalho (Novo Cavaleiros), Colégio Municipal Engenho da Praia, Escola Interagir (Centro) e Escola Municipal Lions (Glória), dentre outras, participaram do processo, que teve 15 questões de Língua Portuguesa, 15 de Matemática e uma produção textual. A ação tem como objetivo acompanhar o processo ensino-aprendizagem dos alunos, auxiliando professores e gestores.

Luan Gomes Venceslau, aluno da Escola Municipal Lions, elogiou a prova. "Gostei muito do que foi cobrado. Principalmente das questões de Língua Portuguesa", conta. A aluna Maria Clara da Silva Santos, da mesma escola, admitiu estar ansiosa com o resultado. "Amo estudar. Provas como estas são muito boas", comenta.

Segundo o secretário de Educação, Guto Garcia, a intenção da Superintendência de Ensino Fundamental é avaliar o desempenho global dos alunos, competência leitora, traçar ações voltadas para os desafios do processo de ensino e analisar dados da gestão da unidade.

A avaliação foi aprovada pelos gestores e professores. As diretoras Simone Carvalho (da Escola Maria Letícia Santos Carvalho); Ivone de Jesus (Engenho da Praia) e Janaína Zimmer (Lions) elogiaram a prova e compartilharam da mesma opinião. "Avaliações externas como estas são fundamentais. Motivamos os alunos e familiares para que eles percebam a importância do processo de ensino e detectem avanços e dificuldades apresentados nas salas de aula. Nossos alunos são incentivados a se dedicar cada vez mais e também a entrar no ritmo de avaliações, que contam com cartão resposta e exigem maior concentração", explicam.

A prova é organizada de acordo com os conteúdos do bimestre e da Prova Brasil, que será realizada no fim do segundo semestre. A planilha de correção será encaminhada para a Secretaria de Educação.

Programa municipal de Agricultura Familiar é selecionado para concorrer a Prêmio Nacional

Programa municipal de Agricultura Familiar é selecionado para concorrer a Prêmio Nacional
O município de Quissamã teve o seu programa selecionado para participar do concurso “Boas Práticas de Agricultura Familiar para Alimentação Escolar: criatividade e inovação na aplicação da Lei nº 11.947/2009”, que está sendo promovido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e que premiará 25 finalistas em outubro deste ano, que vão compor o Caderno de Boas Práticas de Agricultura Familiar para Alimentação Escolar, do governo federal. Em Quissamã, a Agricultura Familiar atende cerca de 4.500 crianças matriculadas nas 12 escolas e três creches.
O Município está concorrendo na categoria “Relato de Experiência de 2017 — Intersetorialidade”, onde destaca as ações que valorizam o agricultor familiar e ampliam as ofertas de alimentos saudáveis na escola. Quissamã foi um dos primeiros do Estado do Rio a implantar o Programa Nacional de Alimentação Familiar (PNAE), há sete anos, com atividades ininterruptas e cumprindo a Lei.
A secretaria de Educação define o cardápio com os técnicos da secretaria de Agricultura, Meio Ambiente e Pesca, que por sua vez fornece implementos para o preparo do solo, assistência técnica, além de mudas de hortaliças, frutas e etc. produzidas no Horto Municipal para os agricultores cultivarem em suas propriedades. Já a secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo auxilia na preparação das notas fiscais eletrônicas, emitidas pela Fazenda Municipal, para pagamento dos fornecedores, já que uma parcela dos agricultores é formada por microempreendedores individuais (MEI). Com parceria do Sebrae promove a capacitação e posteriormente a certificação dos produtos orgânicos.
Outra ação intersetorial acontece através dos Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável e o de Alimentação Escolar, formados por agentes públicos e a sociedade civil. Outros setores municipais responsáveis pela formalização e segurança jurídica, como Controladoria, Procuradoria e Licitação também participam do programa.
A prefeita Fátima Pacheco destaca a importância de uma alimentação de qualidade para os alunos. — A alimentação oferecida nas escolas é fundamental para o desenvolvimento de nossas crianças.
Por trás de cada prato há o trabalho e as mãos de muitos profissionais: as merendeiras, as nutricionistas, a equipe da Agricultura, os produtores rurais, entre outros tantos que atuam na importante missão de alimentar nossos alunos. Seguimos às recomendações do PNAE e mais de 30% da nossa merenda é ofertada por nossos agricultores familiares — disse.

O secretário municipal de Educação, Róbisson Serra lembrou que hoje, as escolas atendem acima do percentual determinado pela legislação federal na merenda, mas a intenção é ampliar. “Para nós da secretaria municipal de Educação é muito importante que a alimentação das nossas crianças venha do produtor rural local, pois sabemos quem fornece e a qualidade do produto que é oferecido, além do carinho estabelecido nessa parceria entre a secretaria e o produtor rural, que tem a missão de alimentar os matriculados na nossa rede de ensino”, disse.

Câmara aprova doação de terreno no Lagomar para a Igreja Católica

Representantes da Igreja Católica participam da sessão ordinária que aprovou o PL 09/2017
O Projeto de Lei (PL) 09/2017, que trata da concessão de terreno do município para a Diocese de Nova Friburgo, foi aprovado na sessão ordinária desta terça-feira (27), na Câmara Municipal de Macaé. O espaço será cedido pela prefeitura para a construção de uma paróquia no Lagomar. Após a aprovação pelos vereadores, o PL precisa ser sancionado pelo prefeito Aluízio dos Santos Júnior (PMDB). A expectativa é que isso aconteça nos próximos dias.
Segundo Marcel Silvano (PT), o PL 09/2017 é uma antiga reivindicação da diocese que vem se arrastando há anos. “O Lagomar possui uma população numerosa e, com uma paróquia própria, poderá assistir melhor aos seus moradores”, justificou.
Marcel e Maxwell Vaz (SD) parabenizaram a ação das comissões de ‘Finança e Orçamento’ e ‘Constituição, Justiça e Redação’, que, segundo eles, não mediram esforços para ajudar com os pareceres necessários à aprovação da pauta. O presidente Eduardo Cardoso (PPS) destacou a atuação dos demais parlamentares, de diferentes credos religiosos, que se envolveram na causa.
Paulo Antunes (PMDB) e Luiz Fernando Pessanha (PT do B) também discursaram em favor projeto.

Temer contra-ataca e chama de 'ficção' denúncia da PGR

AFP / EVARISTO SAO presidente Michel Temer durante pronunciamento em Brasília, em 27 de junho de 2017
O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira que a denúncia de corrupção passiva, feita contra ele na véspera pelo Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, "é uma ficção", movida por interesses que pretendem "paralisar o país".
Em curta declaração à imprensa no Palácio do Planalto, o presidente disse que vê as acusações atribuídas a ele como "uma infâmia de natureza política", sem "fundamento jurídico".
"Querem parar o país, parar o Congresso", disse Temer. "Atingem a Presidência da República. Não é uma coisa qualquer", acrescentou, sendo aplaudido por dezenas de legisladores e assessores.
"Não fugirei das batalhas e nem das guerras que temos pela frente. Não me falta coragem para seguir com a reconstrução do país e a defesa da minha dignidade pessoal".
Temer tornou-se na segunda-feira o primeiro presidente em exercício da história do Brasil denunciado por um crime comum, em uma nova etapa da crise política que há pouco mais de um ano levou o Senado a destituir a presidente Dilma Rousseff por manipular contas públicas nas chamadas "pedaladas fiscais".
O procurador-geral da República denunciou Temer por crime de corrupção passiva por ter recebido, por intermédio do ex-deputado e assessor Rodrigo da Rocha Loures, propina no valor de R$ 500 mil de Joesley Batista, um dos donos da gigante da proteína animal JBS.
Janot afirma que o dinheiro era destinado a Temer, mas ele diz que a denúncia se baseia em suposições para justificar um generoso acordo de delação premiada, que os donos da JBS assinaram com a Justiça para atenuar suas penas.
"Onde estão as provas concretas de recebimento destes valores? Inexistem. Examinando a denúncia, percebo que reinventaram o Código Penal e incluíram uma nova categoria: a denúncia por ilação", reagiu o presidente em seu pronunciamento.
AFP / Gustavo Izús, Anella RetaMichel Temer
Após as declarações de Temer, o Ministério Público emitiu um comunicado para esclarecer que a denúncia apresentada por Janot "é pública e baseada em fartos elementos de prova", como relatórios da Polícia Federal, documentos, gravações e imagens "que não deixam dúvidas quanto ao material e à autoria do crime de corrupção passiva".
Para que a denúncia chegue a ser julgada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), dois terços dos deputados (342 dos 513) devem validá-la, algo que agora parece improvável devido à imensa maioria que o governo tem, além das dezenas de deputados citados ou investigados em casos de corrupção.
O presidente conseguiu manter até agora do seu lado seu principal aliado, o PSDB, mesmo após o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) declarar na segunda-feira que Temer realizaria um ato de grandeza se renunciasse e convocasse eleições antecipadas.
Se o caso for para o STF, Temer será suspenso do cargo por até 180 dias à espera da sentença dos juízes supremos. Se for declarado culpado, o Congresso deverá eleger um novo presidente no prazo de 30 dias para completar o mandato até o final de 2018.
Reformas no banho-maria
"Era uma denúncia esperada. Outras provavelmente virão. É grave para o presidente e para a política do pais, mas não muda o cenário de que Temer, ainda debilitado, possa obter na Câmara o número de votos suficientes para bloquear", observou o analista Ricardo Ribeiro, da MCM Consultores.
Uma hora antes do fechamento, a Bolsa de São Paulo recuava 0,83% e o dólar era negociado a R$ 3,22 reais contra R$ 3,302 na segunda à noite.
Os empresários e o mundo financeiro apostaram fortemente em Temer para realizar as reformas necessárias para devolver a confiança aos investidores a fim de tirar a economia da pior recessão de sua história.
Mas a crise política colocou esta perspectiva em banho-maria.
"A denúncia torna improvável a aprovação da reforma previdenciária, a mais importante. Porém, o enfraquecimento de Temer torna improvável a aprovação da reforma da previdência, a mais importante. É um impasse: Temer não sai, mas não consegue aprovar a reforma", antecipou Ribeiro.
Os brasileiros assistem com uma indignação às vezes impotente o vendaval de denúncias que há três anos levou à prisão dezenas de políticos e empresários, em meio à pior recessão econômica do país, que gerou 14 milhões de desempregados (13,6%).
Várias centrais sindicais convocara greves e mobilizações para os próximos dias para denunciar os projetos de reforma em andamento, depois da greve geral de 28 de abril.
A denúncia de Janot se inscreve nas investigações por corrupção, organização criminosa e obstrução de Justiça contra o presidente.

Habitação prossegue com mudanças para Bosque Azul

2017-06-27 14:41:00 - Jornalista: Tatiana Gama
Compartilhe:  
  •  
  •  
  •  
Foto de pessoas
Foto: João Barreto
Famílias recebem orientações antes da mudança para Bosque Azul
A mudança de famílias da comunidade Águas Maravilhosas para novas moradias do Condomínio Bosque Azul continua. O cronograma, que segue até sexta-feira (30), contemplará 262 famílias. Outras 30 famílias cumprem trâmites burocráticos de documentação, com previsão de mudança até final de julho. De acordo com a secretária adjunta de Habitação, Alessandra Aguiar, os contemplados foram informados durante o processo de selagem, que aconteceu em agosto de 2015.
"A selagem é um processo de congelamento das ocupações, período que identificamos as famílias e construções do local. A ação aconteceu há dois anos e contou, também, com uma assembléia no período noturno, registrada por lista de presença e relatório fotográfico", explica a secretária, acrescentando que as famílias foram inseridas no Cadastro Único do governo federal com a reserva da unidade habitacional, entrega de documentos à instituição financeira e escolha de endereços para quem foi aprovado no processo de regularização.

Segundo a assistente social da Secretaria Adjunta de Habitação, Samantha Fragoso, após a escolha de endereços, realizada em dezembro de 2016, as famílias participaram da vistoria dos apartamentos e assinaram contrato com a instituição financeira em fevereiro deste ano.

"Hoje estamos aqui acompanhando a mudança de cada um deles. Todas as pessoas que moravam em Águas Maravilhosas foram contempladas. A decisão de se mudar para o Bosque Azul é de cada família conforme determinou a Justiça. Porém, se optar não ir para a unidade habitacional oferecida pela prefeitura, não podem permanecer na comunidade, já que a área é condenada por ser um antigo lixão da cidade", frisa a assistente social.

A ação de remoção também envolve a demolição dos imóveis para que não sejam reocupados. Os trabalhos estão sendo realizados pela Secretaria Adjunta de Serviços Públicos. Durante o processo, cada responsável vai assinar um Termo de Autorização de Demolição (TAD). As chaves da nova moradia, no Condomínio Bosque Azul, estão sendo entregues no mesmo momento da assinatura.

As famílias removidas estão ocupando a quadra 6, com 12 blocos do Bosque Azul. Para atender a comunidade e manter o laço dos territórios onde viviam antes, foram realizadas reuniões para que cada grupo escolhesse o endereço, respeitando a vizinhança. Além disso, foi feito um trabalho em conjunto com a Secretaria de Trabalho e Renda, em parceria com o Sebrae, para formalizar a profissão dos comerciantes da região, incluindo novos pontos de vendas.

Animais - A Coordenadoria de Promoção da Saúde dos Animais também realiza ação na comunidade Águas Maravilhosas. Os animais das famílias que irão se mudar para o Bosque Azul estão sendo cadastrados. O objetivo é realizar a castração desses animais.

Habitação prossegue com mudanças para Bosque Azul

2017-06-27 14:41:00 - Jornalista: Tatiana Gama
Compartilhe:  
  •  
  •  
  •  
Foto de pessoas
Foto: João Barreto
Famílias recebem orientações antes da mudança para Bosque Azul
A mudança de famílias da comunidade Águas Maravilhosas para novas moradias do Condomínio Bosque Azul continua. O cronograma, que segue até sexta-feira (30), contemplará 262 famílias. Outras 30 famílias cumprem trâmites burocráticos de documentação, com previsão de mudança até final de julho. De acordo com a secretária adjunta de Habitação, Alessandra Aguiar, os contemplados foram informados durante o processo de selagem, que aconteceu em agosto de 2015.
"A selagem é um processo de congelamento das ocupações, período que identificamos as famílias e construções do local. A ação aconteceu há dois anos e contou, também, com uma assembléia no período noturno, registrada por lista de presença e relatório fotográfico", explica a secretária, acrescentando que as famílias foram inseridas no Cadastro Único do governo federal com a reserva da unidade habitacional, entrega de documentos à instituição financeira e escolha de endereços para quem foi aprovado no processo de regularização.

Segundo a assistente social da Secretaria Adjunta de Habitação, Samantha Fragoso, após a escolha de endereços, realizada em dezembro de 2016, as famílias participaram da vistoria dos apartamentos e assinaram contrato com a instituição financeira em fevereiro deste ano.

"Hoje estamos aqui acompanhando a mudança de cada um deles. Todas as pessoas que moravam em Águas Maravilhosas foram contempladas. A decisão de se mudar para o Bosque Azul é de cada família conforme determinou a Justiça. Porém, se optar não ir para a unidade habitacional oferecida pela prefeitura, não podem permanecer na comunidade, já que a área é condenada por ser um antigo lixão da cidade", frisa a assistente social.

A ação de remoção também envolve a demolição dos imóveis para que não sejam reocupados. Os trabalhos estão sendo realizados pela Secretaria Adjunta de Serviços Públicos. Durante o processo, cada responsável vai assinar um Termo de Autorização de Demolição (TAD). As chaves da nova moradia, no Condomínio Bosque Azul, estão sendo entregues no mesmo momento da assinatura.

As famílias removidas estão ocupando a quadra 6, com 12 blocos do Bosque Azul. Para atender a comunidade e manter o laço dos territórios onde viviam antes, foram realizadas reuniões para que cada grupo escolhesse o endereço, respeitando a vizinhança. Além disso, foi feito um trabalho em conjunto com a Secretaria de Trabalho e Renda, em parceria com o Sebrae, para formalizar a profissão dos comerciantes da região, incluindo novos pontos de vendas.

Animais - A Coordenadoria de Promoção da Saúde dos Animais também realiza ação na comunidade Águas Maravilhosas. Os animais das famílias que irão se mudar para o Bosque Azul estão sendo cadastrados. O objetivo é realizar a castração desses animais.

Habitação prossegue com mudanças para Bosque Azul

2017-06-27 14:41:00 - Jornalista: Tatiana Gama
Compartilhe:  
  •  
  •  
  •  
Foto de pessoas
Foto: João Barreto
Famílias recebem orientações antes da mudança para Bosque Azul
A mudança de famílias da comunidade Águas Maravilhosas para novas moradias do Condomínio Bosque Azul continua. O cronograma, que segue até sexta-feira (30), contemplará 262 famílias. Outras 30 famílias cumprem trâmites burocráticos de documentação, com previsão de mudança até final de julho. De acordo com a secretária adjunta de Habitação, Alessandra Aguiar, os contemplados foram informados durante o processo de selagem, que aconteceu em agosto de 2015.
"A selagem é um processo de congelamento das ocupações, período que identificamos as famílias e construções do local. A ação aconteceu há dois anos e contou, também, com uma assembléia no período noturno, registrada por lista de presença e relatório fotográfico", explica a secretária, acrescentando que as famílias foram inseridas no Cadastro Único do governo federal com a reserva da unidade habitacional, entrega de documentos à instituição financeira e escolha de endereços para quem foi aprovado no processo de regularização.

Segundo a assistente social da Secretaria Adjunta de Habitação, Samantha Fragoso, após a escolha de endereços, realizada em dezembro de 2016, as famílias participaram da vistoria dos apartamentos e assinaram contrato com a instituição financeira em fevereiro deste ano.

"Hoje estamos aqui acompanhando a mudança de cada um deles. Todas as pessoas que moravam em Águas Maravilhosas foram contempladas. A decisão de se mudar para o Bosque Azul é de cada família conforme determinou a Justiça. Porém, se optar não ir para a unidade habitacional oferecida pela prefeitura, não podem permanecer na comunidade, já que a área é condenada por ser um antigo lixão da cidade", frisa a assistente social.

A ação de remoção também envolve a demolição dos imóveis para que não sejam reocupados. Os trabalhos estão sendo realizados pela Secretaria Adjunta de Serviços Públicos. Durante o processo, cada responsável vai assinar um Termo de Autorização de Demolição (TAD). As chaves da nova moradia, no Condomínio Bosque Azul, estão sendo entregues no mesmo momento da assinatura.

As famílias removidas estão ocupando a quadra 6, com 12 blocos do Bosque Azul. Para atender a comunidade e manter o laço dos territórios onde viviam antes, foram realizadas reuniões para que cada grupo escolhesse o endereço, respeitando a vizinhança. Além disso, foi feito um trabalho em conjunto com a Secretaria de Trabalho e Renda, em parceria com o Sebrae, para formalizar a profissão dos comerciantes da região, incluindo novos pontos de vendas.

Animais - A Coordenadoria de Promoção da Saúde dos Animais também realiza ação na comunidade Águas Maravilhosas. Os animais das famílias que irão se mudar para o Bosque Azul estão sendo cadastrados. O objetivo é realizar a castração desses animais.